26 janeiro 2017

NOVE REGRAS A IGNORAR ANTES DE SE APAIXONAR

A sonhadora Calpúrnia Hartwell sempre fez tudo exatamente como se espera de uma dama. Ainda assim, dez anos depois de ser apresentada à sociedade, ela continua solteira e assistindo sentada enquanto as jovens se divertem nos bailes. Callie trocaria qualquer coisa por uma vida de prazeres. 
E por que não se arriscar se, aos 28 anos, ela já passou da idade de procurar o príncipe encantado, nunca foi uma beldade e sua reputação já não lhe fará a menor diferença? Sem nada a perder, a moça resolve listar as nove regras sociais que mais deseja quebrar, como beijar alguém apaixonadamente, fumar charuto, beber uísque, jogar em um clube para cavalheiros e dançar todas as músicas de um baile. E depois começa a quebrá-las de fato. 
Mas desafiar as convenções pode ser muito mais interessante em boa companhia, principalmente se for uma que saiba tudo sobre quebrar regras. E quem melhor que Gabriel St. John, o marquês de Ralston, para acompanhá-la? Afinal, além de charmoso e devastadoramente lindo, ele é um dos mais notórios libertinos de Londres. 
Contudo, passar tanto tempo na companhia dele pode ser perigoso. Há anos Callie sonha com Gabriel e, se não tiver cuidado, pode acabar quebrando a regra mais importante de todas – a que diz que aqueles que buscam o prazer não devem se apaixonar perdidamente.


Título: Nove regras a ignorar antes de se apaixonar
Gênero: Romance de época
Páginas: 384
ISBN: 9788580415056 
Editora: Arqueiro
Autora: Sarah MacLean
Olá pessoal! Como eu disse na última resenha do blog (Montanha da Lua), este ano quero ler mais romances de época, e por isso, recebi a indicação da série Os Números do Amor. Pensa numa pessoa que está apaixonada por esse livro? Fiquei imensamente surpresa com a escrita da Sarah MacLean.

Quando eu penso em romances de época, imediatamente imagino livros com personagens certinhos e com uma escrita complicada. Em todos os livros de época que li até agora (que no total são três), os personagens são muito mais descontraídos do que metade dos livros de romance clichês que li até hoje.
Callie é uma mulher tímida, comportada e sonhadora. Tem 28 anos de idade e ainda não se casou, um fato julgado pela sociedade por acharem que uma dama deve se casar jovem. Ela não se acha bonita, e aos poucos, já está se acostumando com a solidão. É apaixonada pelo marques de Ralston desde sempre, mas no fundo sabe que nunca será notada. Sua irmã fica noiva, e apesar de ter ficado feliz pela notícia, se sentiu um pouco mais vendo Mariana fazer coisas que até então ela não tinha feito. No baile de noivado de Mariana, Callie acaba sendo ofendida por sua tia, que diz palavras e apelidos grosseiros para a moça. É quando Callie - influenciada por seu irmão após perceber que ela estava triste - decide criar uma lista de condutas para quebrar, já que arrumar um marido está fora de alcance. Ela então descaradamente precisa da ajuda de Gabriel (o marques que ela tanto admira) para cumprir uma das coisas da lista, e assim eles fecham um trato, que fazem com que os dois estejam cada vez mais próximos.
O que mais me encantou nesse livro foi os personagens, que diferente do achava, eles não são nada comportados. A autora conseguiu encaixar todos os personagens na história de uma forma que eu nunca tinha visto em nenhum livro até hoje. Todos os personagens influenciaram de alguma forma na estória, nenhum apareceu lá só por existir. Fiquei fascinada quando descobri que Gabriel (marques de Ralston) e Nick eram gêmeos. Nunca tinha lido um livro no qual os protagonistas fossem gêmeos, e foi bom porque deu pra perceber direitinho as diferenças de cada um.

Foi muito divertido ver Callie tentar cumprir todas as atividades da lista, porquê quando a gente pensa que ela vai jogar tudo pro alto, lá vem ela com essa lista de novo. No livro, é muito comum ver os personagens defendendo a sua reputação, com medo de estraga-la. Quando Gabriel resolve ajudar Callie cumprir as atividades da lista, ele coloca a reputação dele em jogo, principalmente por ele ser muito conhecido.

E com tanto positivo que já falei, ainda falta um: que jogada de mestre essa aposta que Gabriel fez com Oxford! Em certo ponto do livro, Gabriel acaba escutando uma conversa entre alguns homens de seu clube. Oxford estava dizendo que se casaria com Callie e depois poderia viver bem financeiramente e com uma boa amante. Gabriel não suportando ouvir isso sobre Calpúrnia resolve apostar mil libras que ela não se casaria com ele. Na história inteira, o desagradável do Oxford aparecia para se atirar em Callie, e isso deixava o marques cada vez mais irritado. Foi incrível essa aposta, porque sempre que estava dando tudo certo entre Gabriel e Calpúrnia, eu ficava pensando se a aposta iria atrapalhar alguma hora no relacionamento dos dois.

O livro é fantástico, com certeza, um dos melhores que já li. Eu indico esse livro pra todo mundo, mas principalmente, para aqueles apaixonados por romances, o detalhe que faz com que a nossa literatura seja cada vez mais bela.

5 comentários:

  1. Você acredita que eu nunca li romance de época? Eu li já várias resenhas, e fico até com vontade de ler, mas nunca tive coragem suficiente para começar algum. Fico feliz que você tenha gostado do livro, e adorei que todos personagens tiveram alguma importância para a trama e também nunca li nenhum livro que tenha personagens gêmeos. E você começou o ano de 2017 com uma boa obra, hein.
    Trouxa do Livro

    ResponderExcluir
  2. Oii! Eu não gosto muito de romance de época mas "me desafiei" a ler livros desse gênero esse ano.
    Tenho lido muitas resenhas desses livros e fiquei bem curiosa principalmente pelo fato dos personagens não serem certinhos como costumam ser. Até agora eu gostei mais das resenhas do segundo livro, que tem uma moça que abriga mulheres vítimas de violência e tal.

    Beijos,
    Kemmy - Duas Leitoras

    ResponderExcluir
  3. ah, pra quem curte o gênero romance de época, deve ser uma leitura interessante... já eu não tenho vibe pra romances... já ouvi falar muito bem de Nove regras mas nunca bateu vontade pra ler...
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá, eu não sou muito fã de romances, mas ironicamente me divirto horrores com os livros dessa autora.
    Eu já tinha visto esse livro, mas não sabia ao certo se teria mais do mesmo. Pela a sua resenha parece que não, já que você classificou esse livro como um dos seus favoritos.
    Vou ler e espero me divertir tanto quanto me diverti com o clube dos canalhas.
    Abs e parabéns pela resenha ^^

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    eu dei uma pausa para romances de época. Meio que cansei. rsrs Mas, achei instigante e até engraçado o título desse livro. E me animou mais ainda o fato de você ter se empolgado com a obra. Anotado pra quando retornar ao gênero.
    Abs
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir